28 de maio de 2021 – Brehnno Galgane

Zhao Lijian

Após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, exigir uma investigação mais profunda sobre as origens da Covid-19, o Ministério das Relações Exteriores da China, em uma declaração divulgada nesta quinta-feira (27), acusou os EUA de politizarem a investigação sobre a origem do vírus.

“O objetivo deles é usar a pandemia para perseguir a estigmatização, manipulação política e transferência de culpa”, disse o porta-voz do Ministério, Zhao Lijian, em entrevista coletiva em Pequim.

Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) se prepara para dar início à segunda nova fase de investigação sobre as origens da Covid-19. Após a primeira fase de investigações da OMS sobre o vírus, treze países emitiram uma nota conjunta contra a falta da transparência da Organização Mundial da Saúde e da China sobre a origem do coronavírus.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, chegou também a afirmar que a China escondeu dados “brutos” que poderiam ajudar a equipe de investigação a identificar a origem do surto do provável vírus chinês.

Em meio aos indícios de que o vírus vazou de um laboratório do Instituto de Virologia Wuhan, a China continua relutando a disponibilizar mais informações sobre o caso e continua negando repetidamente que o laboratório seja o responsável. O Partido Comunista da China alega ainda que os EUA e outros países estão tentando se eximir de suas próprias falhas para conter o vírus.

Joe Biden chegou a declarar nesta semana que a Comunidade de Inteligência (CI) dos EUA estava dividida sobre se a Covid-19 “surgiu do contato humano com um animal infectado ou de um acidente de laboratório”.

Ao comentar o caso durante o Boletim da Noite desta quinta-feira (27), o analista político Italo Lorenzon criticou o fato da grande mídia declarar que “a teoria do vazamento de laboratório de Wuhan de repente se tornou confiável”.

“Eu faço a seguinte pergunta: ‘de repente’ ficou confiável?”, questionou Italo Lorenzon. “Essa expressão que eles usaram, ‘de repente’, é o fim do mundo, me desculpem. De repente, Estadão? Vocês estão loucos, tem muita gente falando isso. O problema é o seguinte: o que a grande imprensa faz? Eles só mostram um lado, não gostam de uma confrontação de ideias, com isso acreditam na própria mentira. Agora eles vendem essa história do ‘de repente’. Quem se informou pelo Estadão de fato foi pego no susto, deve ter parecido uma coisa muito estrondosa. Mas não foi, foi somente a gota d’água que derramou o copo”, apontou Lorenzon.

“Não houve uma confissão do alto escalão do Partido Comunista, não foi isso que aconteceu. Foi mais uma evidência em uma fila delas, essa linha do tempo publicada pelo Estadão é fake news, existe uma fila de evidências que não estão nessa linha do tempo e mereciam uma linha do tempo própria para dizer o seguinte: essa é a linha do tempo de evidências que foram se acumulando, de que o coronavírus foi criado em laboratório. No Terça Livre você acompanhou isso, quando apareceram as primeiras suspeitas, nós falamos que seria possível, mas trouxemos a notícia porque não escondemos informações de vocês”, concluiu o analista político.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *